A minha Lista de blogues

sexta-feira, abril 27, 2007

REVOLUÇÃO



No dia 25 de Abril, dei por mim a pensar que fiz uma revolução pessoal no mesmo ano, mas em Janeiro, quando me encontrei com o Yoga, ou seja, há 33 anos e pouco! Esse encontro deu-se numa altura em que atravessava uma etapa da minha vida um tanto ou quanto complicada. Os meus Deuses, como sempre, encarregaram-se de me apontar um caminho e lá me deixei levar pela curiosidade exacerbada pelas informações que me passou quem se já tinha aventurado por aí. Logo que comecei a frequentar as aulas, deu para perceber que tinha entrado num mundo que assentava que nem uma luva na minha vibração. Claro que não entendi logo onde me estava a meter... Sentia-me bem com a prática e com as pessoas e até achava essa sensação estranha e um tanto inexplicável, pois não alcançava muito bem a razão do bem-estar que sentia depois de cada sessão. Estava habituada a fazer exercício físico, mas o que o “Hatha Yoga” me provocava ia mais além.
Com a prática, o convívio e algumas (ainda poucas) leituras, fui-me sentindo cada vez mais em casa e quando chegou o 25 de Abril foi dois em um! Até essa data estávamos proíbidos de mencionar a palavra “espírito”, visto que era associada a espiritismo, considerada a sua prática um pecado pela Igreja Católica de então. Com a liberdade foram chegando diferentes filosofias e religiões que se puderam manifestar sem receio e a partir daí prossegui com o meu desenvolvimento pessoal e espiritual, abrindo as portas que se apresentavam apetecíveis. Fiz muitas experiências, muitos contactos proveitosos que me permitiram descobrir o meu SER e o meu ESTAR, a minha própria individualidade. Não foi fácil, nada fácil mesmo, já vos digo. Cada passo dado, novos obstáculos a ultrapassar, uma revolução nem sempre pacífica, mas sempre conseguida pela determinação que me assiste e, talvez, porque o que despertou em mim era mais forte que os impedimentos ou as dificuldades. Posso dizer que, ao fim destes anos todos, gozo de uma estabilidade que me deixa avançar com a certeza de que os meus Deuses não me falham quando preciso de ajuda ou de conselho.
Continuo a sentir-me revolucionária e descobridora com a vontade que, felizmente, me assiste pois ainda há muito para fazer na comunidade que me foi atribuída. Conto, também, convosco neste espaço sideral onde as Almas se encontram sem reservas nem preconceitos. Obrigada.
Fiquem bem!

segunda-feira, abril 16, 2007

CONSCIÊNCIA PLENA



Ao longo dos anos, a prática do Yoga tem-me permitido ampliar a consciência e perceber que uma inteligência é elevada quando pura e verdadeira, capaz de distinguir, claramente o que importa. O pensamento em harmonia constante com as acções e as sensações, tomando em consideração que o Ego deverá ser apenas o timoneiro que leva a barca do meu tempo a bom porto, fazendo de cada momento o futuro que foi passado e se faz presente, o tempo acontece sem medida quando entendo a sua relatividade e a alegria é um estado de Alma que me permite fluir com as circunstâncias, sem medo de avançar com o meu processo de evolução e com a capacidade de ajudar os outros como me ajudo a mim própria.
Cada etapa vivida prepara-me para que possa continuar a cumprir a missão que me foi destinada e que aceitei, algures no tempo e no espaço. Eu sei que é preciso confiar, mas também sei que nem sempre é fácil, principalmente nos momentos em que as dificuldades se sobrepõem às forças ou ao ânimo. A consciência, na sua plenitude, leva-me constantemente a ter de fluir, aceitando o que vem, com a certeza das ajudas que se apresentam sem reservas.
Ao longo dos anos, vivi situações complicadas, tanto a nível familiar como no meu trabalho e dou, muitas vezes, comigo a pensar que os obstáculos se foram sempre ultrapassando à custa da solidariedade espontânea que me assiste e, por isso, me considero uma privilegiada, na medida em que tenho conseguido levar por diante o ideal de uma comunidade, familiar e espiritual que, porque não dizer, me tem dado tanto alegrias como tristezas. Alegrias quando vejo os meus filhos seguirem o seu próprio caminho e aqueles que de mim se aproximam para os ajudar espiritualmente, avançarem com passos cada vez mais firmes e com a humildade própria de quem sabe que sabe e tristezas quando me sinto incapaz de perceber as falhas e a dificuldade em aceitar que o desapego é, realmente, o maior desafio da vida.
Por tudo isto, continuo a praticar Yoga de corpo e alma, confiando na sabedoria ancestral que representa esta filosofia. Nela tenho encontrado as respostas para as perguntas que não soube formular ou que se encontravam perdidas nas brumas da minha memória.
Com a consciência plena vos digo... PRATIQUEM YOGA!!!
Fiquem bem!

terça-feira, abril 10, 2007

EMOÇÕES


DOR

Por tudo o que não foi feito * Por tudo o que não foi dito
Por tudo o que não foi sentido * Por tudo o que foi consentido


ALEGRIA


Por poder saudar cada dia * Por saber que cumprimos
Por estar aqui * Por amar sem expectativas


As memórias arrastam consigo os resíduos que farão parte de um novo ciclo. Nada se repete neste movimento contínuo que é a Vida.
O tempo passou e deixou a sua marca que ocupará o vazio.