A minha Lista de blogues

terça-feira, julho 31, 2007





A ROSA, ROSA

A ROSA É FLOR DE MAIO
A ROSA, ROSA É SEDA PURA
QUE DURA.

O SEU PERFUME É LUME
DA ESSÊNCIA VISTA À
TRANSPARÊNCIA.

A ROSA BRILHA PORQUE
TRILHA CAMINHOS FEITOS
DE ESPINHOS!

Estou quase de férias! Penso que nesse tempo dará para conversarmos sobre aquilo que me vier à cabeça durante os dias que os Deuses me ofereceram.
Fiquem bem!

quinta-feira, julho 19, 2007

ALEGRIA







“A alegria é um estado de espírito conquistado pelas Almas que, a cada passo, se expandem e se elevam ao encontro da Essência. A leveza do Ser é uma condição adquirida, apesar de todos os percalços, sendo o corpo um mero instrumento de acção. As dores manifestam-se como sinais evidentes da nossa materialidade, lembranças de um passado que, por vezes, nos deixa perplexos.
E, no entanto… tudo passa pois tudo é movimento!!!”

Quando chego ao fim dum ano lectivo (por coincidência calha no dia dos meus anos), dou comigo a fazer uma revisão a tudo quanto foi feito e vivido nesse período, tanto a nível de trabalho como familiar. Na minha filosofia de vida, as coisas misturam-se naturalmente, visto que a relação com alunos, discípulos e pacientes tem uma componente afectiva indissociável, apesar das distâncias que têm de ser mantidas. Não é muito fácil, mas tem de ser assim! A cura faz-se pelo toque e pela palavra para que haja uma interacção profunda, um contacto que transcende os corpos e as aparências. A comunicação vai-se dando à medida que a confiança se estabelece e haja um entendimento espiritual que não se compadece com a razão, mesmo que ela continue a ter o seu papel. Foi assim este ano e será assim neste Caminho que me foi traçado e que aceitei inevitavelmente.
Tal como a alegria, a harmonia conquista-se com a atenção dada aos sinais que se vão descodificando à medida que a consciência desperta. O corpo é o instrumento principal da nossa evolução, pois é nele que se registam todas as informações, uma sabedoria de experiências feita que é preciso explorar, se se quiser avançar com os Karmas do passado resolvidos. O Karma do futuro resulta de um trabalho feito no presente. O aqui e agora a toda a linha.
A Lei do Karma (acção e reacção), rege a maneira como olho o mundo e as pessoas com quem vivo e trabalho, actuando com desapego e a atenção necessária para poder avaliar o que sinto e o que percebo do que sinto, sem preconceitos nem julgamentos. Quando me sinto bem, é sinal de que estou a fazer as coisas certas, mesmo que, por vezes, me pareçam estranhas… Nem sempre entendo os sinais à primeira, mas aprendi a confiar nas manifestações que o meu corpo apresenta, distinguindo o que é importante e o que é descartável. O que resta na memória é a fonte onde vou beber a energia que me permite continuar leve e livre e com a alegria que é apanágio de uma boa relação com os Deuses que me assistem nesta minha passagem pela Terra.
Foi um ano cheio em vivências de toda a ordem que me permitiram aprender tanto. Que mais posso desejar?...




Fiquem bem!

segunda-feira, julho 09, 2007

SENSIBILIDADE E BOM SENSO


Há uma semana que este título me aparece na cabeça e como, normalmente, é por aí que começam os textos que vos apresento ttive de lhe dar atenção. As ideias começam a andar às voltas até que tomem a forma definitiva e, nessa altura, posso dizer que estão prontas para serem passadas a limpo e levadas para o éter.
Sensibilidade e bom senso são temas prementes no que respeita a espiritualidade (mediunidade). Quando treinamos a nossa mente através da meditação transformamo-nos em emissores e receptores com grande capacidade e bastante fidelidade, sendo canais por onde passa muita informação que se regista de acordo com a própria competência, permitindo a sua descodificação.
Ao longo dos anos de prática de meditação, vivendo uma vida em que tento integrar o fora com o dentro e vice-versa na harmonia possível, tive ocasião de experimentar contactos de natureza subtil elevada, fosse através de mim própria ou através das pessoas que foram passando por mim no seu desenvolvimento pessoal e espiritual. Os primeiros contactos foram surpreendentes e algo assustadores pela sua validade e importância para o nosso crescimento pessoal e comunitário! As entidades espirituais têm um refinamento energético que faz com que tenha de haver uma adaptação mútua e o seu contacto implica uma purificação de corpo e alma, sendo preciso uma disponibilidade do receptor pois os espíritos elevados só nos contactam se estivermos receptivos e a ocasião se apresentar necessária e favorável. Ao contrário do que algumas pessoas imaginam, não há contactos por encomenda, nem com hora marcada, embora possamos “programar” um encontro quando a ocasião isso pede. No entanto, temos de nos manter limpos de desejos egoístas ou interesseiros para que o contacto se torne realidade e seja bem sucedido.
O bom senso é um factor primordial nestas matérias e o respeito por estes assuntos é fundamental. A mediunidade pode ser um pau de dois bicos, pois pode dar origem a um crescimento do Ego que poderá dar como resultado o mau uso de poderes inerentes a esta faculdade inata ou adquirida. Todos somos médiuns porque todos estamos em contacto permanente com o universo e alguns refinam essas qualidades como forma de auto ajuda ou solidariedade, outros aproveitam-se disso sem grandes escrúpulos. A intuição, como a inspiração, não são senão uma manifestação desse poder. Quando o usamos com consciência e ponderação, será um dom estimável e de grande utilidade, senão poderá acontecer que o teto nos caia em cima… Feitiço virado contra o feiticeiro…

“O Infinito tem a sua expressão naquilo que materializamos, sem expectativa de retorno pois a consequência dos nossos actos é uma cadeia que nos prende à Essência de onde somos oriundos. Somos constantemente seduzidos pelos elementos e nessa ligação amorosa criamos e recriamos para que se cumpram os desígnios de Deus.”

Fiquem bem!