A minha Lista de blogues

quinta-feira, dezembro 15, 2011

ANO NOVO

     


      Celebremos a Vida como um sonho que se vai transformando em realidade, sempre que enfrentamos os desafios que se apresentam e desvendando os seus mistérios, numa aventura sem fim...
     Festejemos o Natal com espírito de partilha e de amor incondicional para que o novo ano seja de grandes oportunidades para o nosso processo individual e colectivo!
Um abraço,
OM SHANTI

  

quinta-feira, novembro 24, 2011

CRISE E CONSCIÊNCIA

















“O problema da sociedade actual é não saber quem somos nem tão pouco quem são os outros. No entanto, a partir do momento que se passa a ter consciência da própria identidade, pode-se estabelecer contacto com os outros, sentir empatia e, ao mesmo tempo, ser capaz de cooperar com eles sem receio de perder a liberdade. O grande desafio é ganhar confiança. A aceitação dos outros só é possível quando cada um sabe quem é, se aceita e aceita as diferenças.”
Estes tempos que estamos a viver permitem-nos tomar consciência das nossas próprias crises interiores, das fragilidades que emergem perante as dificuldades, as dúvidas e os medos. Assusta-nos o futuro, que é provável e não real, assusta-nos a ideia de não sermos capazes de enfrentar o mundo tal qual ele se vai apresentando e achamos que não vale a pena lutar, pois somos vítimas das circunstâncias ou das próprias acções. Sabemos que a lei do Karma é imperdoável e que temos de estar atentos aos pensamentos predominantes e, principalmente, às intenções por detrás de cada acção. Disso não restam dúvidas…
A proximidade das festas natalícias e a perspectiva da chegada de um novo ano, desperta em nós o mecanismo de defesa que nos permite viver estes momentos com tranquilidade, sem deixar de aproveitar a ocasião para saborear o convívio com familiares e os nossos pares. Tempos houve em que esta época me deixava deprimida e ansiosa, seja pela falta dos que partiram ou porque a sociedade de consumo me consumia na dificuldade de cumprir com os meus deveres sociais e afectivos. Hoje, com a maturidade própria e a discriminação adequada, vivo esta estação do ano com espírito solidário e pragmático, usando a imaginação como ferramenta para ultrapassar necessidades de compromissos de vária ordem.
Já atravessei muitas crises, algumas bem difíceis de superar pelo seu valor e carácter emocional e aprendi que o que mais importa é amar incondicionalmente e estar suficientemente disponível para deixar que a energia necessária me alimente e me anime a continuar com um trabalho e uma acção junto de quem beneficia com aquilo que vou aprendendo sobre mim, fazendo da minha passagem pelo mundo uma mais-valia à escala do espaço onde me insiro como Ser.
O grande desafio é ganhar confiança… VOU CONFIANDO…

Fiquem bem!




terça-feira, outubro 25, 2011

UNIVERSO
















"O universo, em toda a sua amplitude, há que senti-lo mais do que percebê-lo. O Conhecimento não encerrado nas palavras, antes por trás delas, como inspiração que provoca mil palavras maravilhosas que transbordam, mas não é o Conhecimento. Como atingir o Conhecimento? Como ser o Conhecimento? Ser o Conhecimento é atingir o estado de purificação do Ser. É isso o Conhecimento. Quando se É, tudo se sabe, pois aquilo que há para saber é a essência do Ser: uma imensidão de murmúrios, de seguir, de viajar pelo espaço em gargalhadas de alegria e o Amor transbordante, como almas que se tocam.
Não adianta proferir palavras complicadas, racionalizar à volta da sabedoria esquecida dos livros com pó. Tudo passa e morre, menos a Essência que prevalece com grande força criadora, a única capaz de fazer mover montanhas. É essa força que reside em cada um, em cada coisa, em TUDO! Através do contacto com ela o Homem se engrandecerá, esquecendo a pequenez que não lhe pertence, isto que é apenas a sua condição do momento. As gargalhadas de azul que viajam pelo espaço sou Eu a rir-me de mim...
O Homem é, simplesente, uma parcela de uma grandeza maior que tem a capacidade de rir, enquanto o Homem chora. Quando o Homem se questiona, pode surpreender-se com a aparente frieza cósmica. A dimensão do pequeno, quando vista pelo grande, tem essa mesma dimensão: PEQUENA. Por isso, aquilo que pode parecer muito grave, visto sob outro prisma, a outro nível, não passa de pequeno contratempo que, em breve, deixará de existir. o Homem terá essa noção quando, em, retrospectiva, olhar o seu passado, com o afastamento e, à distância, se aperceber da importância ou da falta dela, daqueles momentos que, então, lhe pareceram cruciais, casos de vida ou de morte.
Ao olhar as estrelas, tão longe e parecendo tão perto, pensando que aquela luz já se pode ter extinguido, aperceber-se-á quão vã é a sua visão das coisas, como a distância e o tempo são ilusões...
                                                                                                                SETH (in "As Lições de Seth", canalizadas por Umabel)

sexta-feira, outubro 07, 2011

25 ANOS EM LISBOA

Acender das velas



Convívio

Partilha

Alegria












Faz hoje, precisamente, 25 anos que inaugurámos o “Satsanga” em Lisboa. Comemorámos com alegria, em companhia daqueles que se dispuseram a vir partilhar connosco o seu “sentir”. Ver e rever amigos é motivo suficiente para perceber que vale a pena apostar em alimentar afectos e proporcionar momentos de pleno prazer que se guardam na memória, como reserva de amor.

Fiquem bem

OM SHANTI









segunda-feira, outubro 03, 2011

CELEBRANDO



Faz agora 25 anos que o “Satsanga” chegou a Lisboa (começou em Almada em 1983) e, por esse motivo, vamos celebrar com um encontro para meditarmos juntos e partilhar vivências que fizeram parte do desenvolvimento pessoal e comunitário. Procuramos servir o próximo com as descobertas feitas no tempo e no espaço adequado, só assim é possível SER e ESTAR, seguindo pelos caminhos que se apresentem. Fluindo, fluindo, fluindo e ultrapassando os obstáculos que testarem a nossa força e a nossa humildade.









Muita água foi passando debaixo da ponte que somos, com a certeza de levarmos para a outra margem aqueles que se sentem confiantes e determinados. Estamos juntos por alguma razão…
Todos quantos nos têm acompanhado nesta senda, estarão presentes no nosso coração.

Obrigada, fiquem bem!!!

OM SHANTI





sábado, setembro 03, 2011

VOLTAR...





As chamadas férias vão chegando ao fim e com elas o tempo de retomar os passos que nos levem aonde temos de ir, fazer o que temos de fazer, voltando a assumir o papel que, temporariamente, pusemos de lado. Uma pausa necessária para retemperar as forças e mergulhar num Ser voltado para a família e Amigos, também eles parte do nosso processo de desenvolvimento.
Viver na matéria implica uma relação com as coisas simples da vida e a necessidade de organizar espaços, de modo a que nos proporcionem o bem-estar que nos permita ter um ambiente acolhedor e esteticamente agradável. Ou seja… algumas obras em casa, que estava mesmo a pedir alguma atenção. Um esforço compensado pelo resultado que foi surgindo passo a passo, à medida que as ideias e as necessidades óbvias iam chegando. Uma casa nunca está pronta…
O Centro também foi sujeito à limpeza própria da época e arranjado de modo a receber os praticantes com amor e alegria. As férias servem igualmente para alinhavar propostas para o novo ano lectivo, que sempre se adivinha como desafio à criatividade e à perseverança, ambas capazes de vencer os obstáculos que a vida, inevitavelmente, apresenta. À medida que nos vamos conhecendo, fortalecendo laços afectivos e solidários, a responsabilidade aumenta com a consciência desperta, garantindo a união na diversidade, uma filosofia que assumimos com a certeza de que os caminhos de liberdade são os mais apetecíveis, mesmo que mais difíceis.
Um rio desce da montanha e deixa-se levar pela vontade de chegar ao mar. Pelo caminho, vai abraçando as pedras, correndo pelas margens que sobre ele se debruçam provocantes, acariciando a terra que se deleita com a frescura das águas. Somos como este rio, sentindo o sangue que nos corre nas veias, com vontade de chegar ao mar e ser água, ser sol, ser sal, ser VIDA e ser ESSÊNCIA.
Assim continuaremos, para cumprir o que nos falta cumprir, sem expectativas, mas com a esperança em alta, como é o dever (Dharma) dos eleitos. Juntos, alcançaremos o que estiver para ser alcançado…

Fiquem bem!!!









terça-feira, julho 26, 2011

AFINIDADES













Quando nos apercebemos das afinidades que temos com alguns dos que nos rodeiam, tomamos consciência de que não estamos sós, pois passamos a estar em contacto com esses Seres, numa interligação à qual estamos sensíveis. A partir do momento em que nos é dado a oportunidade de partilhar as nossas próprias vivências, o sentido da vida toma outra perspectiva e passamos a estar onde temos de estar e fazer o que temos de fazer com toda a confiança.
A espiritualidade é o factor que nos permite compreender os mecanismos da mente e sentir o que temos de sentir, com a segurança de quem sabe que sabe. A ideia de perfeição passa a ser um processo relativo às circunstâncias e à nossa capacidade de transcender o que for preciso transcender. Um botão de rosa é perfeito porque tem espinhos, desabrocha e as pétalas acabam por cair murchas. É perfeita porque é assim…
O equilíbrio entre a busca espiritual e o mundo em que habitamos, está na ideia de que é preciso pensar mais em dar do que receber. É o caminho da paciência, da tolerância e da compaixão e entender que afinidade é a consciência da importância de viver em harmonia vibracional. É viver com as situações e não contra elas, ter uma visão clara do que vai acontecendo e aprender o que for para aprender, sem expectativas mas com a esperança em alta. As dificuldades deixam de ser o centro da nossa atenção e passamos a respirar com alma, dando atenção ao que, verdadeiramente, importa. Uma questão kármica, por assim dizer. O karma do passado chega ao presente e, daí se constrói um provável futuro, baseado nas intenções das acções de cada dia.
Neste fim de ano lectivo, fazendo um balanço do foram os tempos de trabalhos e vivências a vários níveis, creio poder assumir que sempre fizemos o que estava ao nosso alcance, com humildade e alegria, mesmo perante as dificuldades que as circunstâncias apresentam hoje em dia. A busca de afinidades é primordial, para não soçobrarmos ao peso de responsabilidades que, por vezes, nos escapam. A única coisa que nos permite saber se estamos a fazer o que está certo é sentirmo-nos bem, física e emocionalmente, ou seja, uma sensação de bem-estar na relação com os outros e o ambiente em que nos encontramos.
O tempo de pausa aproxima-se e é absolutamente necessário para nos recolhermos no nosso ser interior, descansando e ficando disponíveis para receber respostas às perguntas que não sabemos fazer. Quando nos entregamos a cada momento, é certo que ficamos aptos a receber as informações e ajudas necessárias ao processo em que nos encontramos. Os Guias e os Mestres que nos acompanham, têm então a possibilidade de nos contactarem e, com a sua energia, nos alimentarem. Sempre nos “dizem” que viver na matéria não é realmente fácil, por isso, é fundamental haver contacto com essas entidades superiores, para que o nosso Caminho se faça tranquilo e seguro…

Desejo a todos umas boas férias.
Fiquem bem!


quarta-feira, julho 13, 2011

AO RITMO DO SOL









Nesta hora em que o dia avança ao ritmo do Sol, procuro em mim a razão do meu viver, do meu Estar e do meu Ser. Medito, porque meditar é uma segunda natureza para mim. No silêncio do meu espaço me encontro, me refugio para descansar, para entrar em contacto com a minha essência, tão desligada do corpo até que as suas dores deixem de ser aqueles sinais persistentes, teimosos ou gritantes.
Nesta hora em que o dia avança ao ritmo do Sol, vejo a vida ter sentido, o que nada tem a ver com emoções, desejos e expectativas. Tenho de viver mergulhada em mim e deixar que flua a energia que corre pelo meu corpo, esquecer-me das dores para que elas não me impeçam de fazer o que tenho de fazer.

Nesta hora em que o dia avança ao ritmo do Sol, desligo-me da escrita desejando que fiquem bem também!

segunda-feira, junho 27, 2011



Conforme foi noticiado, realizou-se ontem o Dia Mundial do Yoga, organizado pela Confederação Portuguesa de Yoga. O seu Presidente teve a amabilidade de me convidar para entregar a estatueta representativa da homenagem que quiseram fazer ao Professor António Pedro, pioneiro do ensino do Yoga em Portugal. Curiosamente, a minha mãe foi uma das suas alunas, tendo sido através dela que fui conhecendo esta filosofia de vida que viria a ser marcante na minha própria vida.
Neste encontro tive ainda a alegria de ter como companhia a minha primeira professora de Yoga, a Professora Maria Helena de Freitas Branco, também já homenageada em 2007. Ainda hoje aplico os conhecimentos que ela me transmitiu quando comecei a dar aulas, por sua sugestão. A minha gratidão é imensa, pois a minha vida nunca mais foi a mesma a partir do momento em que me aventurei a partilhar este Conhecimento milenar.
É sempre de louvar quem se lembra daqueles que foram sementes tão importantes na descoberta e divulgação do Yoga que, em Portugal, deu os primeiros passos antes do 25 de Abril, época bem difícil para estas e outras matérias… Desbravar caminho implica persistência, grande amor à causa e acreditar no seu real valor como uma prática que ajuda ao desenvolvimento físico, mental e espiritual.
Bem hajam todos quantos continuam a acreditar que vale a pena lutar por um ideal.
Fiquem bem!

sábado, junho 18, 2011

VOAR

















Na história dos pássaros conta-se a liberdade de voar mais alto e mais longe, de encontro ao azul do céu, tomando o Sol que aquece ar para que possam elevar-se até ao infinito.


Na minha história, posso contar a vontade de SER e de ESTAR, mais alto e mais longe, ao encontro da Essência que me inspira e me alimenta para chegar aonde tenho de chegar…

Bom fim-de-semana. Fiquem bem!




sábado, junho 11, 2011

SEXO E ESPIRITUALIDADE


















A razão porque somos dependentes de alguém do outro sexo é porque ainda temos necessidade de aceder à energia sexual oposta. Podemos utilizá-la como fonte interna pois ela é, ao mesmo tempo, masculina e feminina, eventualmente, abrindo-nos a ela. O processo de integração em que estamos inseridos, leva o seu tempo e se nos ligarmos prematuramente a uma fonte humana para obtermos a nossa energia masculina ou feminina, desligamo-nos da fonte universal.
Devido à educação competitiva entre pais e filhos, não foi dada a nenhum de nós a oportunidade de resolver correctamente a integração do sexo oposto. Estamos todos bloqueados a esse nível de evolução e continuamos a olhar para a questão da energia sexual como algo exterior a nós e a projectá-la na pessoa que achamos ser a ideal e a quem julgamos poder possuir sexualmente.
Quando começamos a evoluir conscientemente, começamos, naturalmente, a receber energia do sexo oposto que emana do universo. Podemos ter as nossas histórias amorosas, mas primeiro temos de completar o círculo em nós próprios e por nós próprios. Temos de estabilizar o canal que nos liga ao universo e, uma vez feita, nunca mais ficaremos com tendência a voltar ao mesmo sistema. Nessa altura é possível aceder a relacionamentos mais elevados e manter ligações amorosas com qualquer pessoa porque, na realidade, criámos uma super-pessoa, sem nos desviarmos do nosso processo evolutivo.
É preciso que aprendamos a ter relações com pessoas que se abram totalmente, sem segundas intenções, estabelecendo um contacto que permita satisfazer ambas as partes sem co-dependência, ou seja em liberdade absoluta. Todos somos algo dependentes uns dos outros, mas não de forma doentia. A necessidade de partilha é um facto a ter em consideração, sempre dentro da perspectiva de bem-estar para os envolvidos na acção.
Fiquem bem!
OM SHANTI

 





domingo, maio 29, 2011

ESPAÇO E UNIÃO












Aqui, ali e acolá encontramos um espaço para que se dê a união com o Universo e os nossos semelhantes, numa pulsação contínua que nos leve a amar com consciência e em plenitude. A cada Shiva a sua Shakti, dando inicio ao bailado cósmico e produzindo o efeito embriagador de uma sensação de bem-estar e alegria que se transformará, gradualmente, em serenidade. As acções resultantes deste encontro transcendente, serão as mais adequadas às circunstâncias para que os Egos se dissolvam nas águas límpidas de um oceano de paz, fazendo da dor e do prazer os impulsos que permitem a propagação daquilo que acreditamos ser o papel do Homem nesta sua passagem pela Terra: um Ser que caminha erecto, dando passos firmes ao percorrer o seu Caminho, mas sem avassalar o que quer que seja!

Fiquem bem!

domingo, maio 22, 2011

EU INTERIOR


Abrindo as portas do coração deixamos que se revele o Eu Interior, tomando então consciência de que o papel que desempenhamos não tem necessariamente de ser aquele que nos foi imposto alguma vez. Passamos a ter uma perspectiva bem diferente das intenções próprias e de outrem, podendo expressar o que sentimos sem esperar julgamentos ou recompensas.
A consciência da individualidade não nos deve permitir adivinhar as intenções e sentimentos alheios, antes sim passar a fluir com as circunstâncias, aprendendo com elas e sarando as feridas de um passado próximo ou longínquo, para que seja possível continuar o processo de evolução que nos leve ao verdadeiro Conhecimento. As projecções do passado não devem ser impedimento para que se dê a abertura necessária à transformação desejada que permitirá lançar as bases para um futuro a começar a cada instante.
Deixando escapar as tensões, com cada expiração, podemos criar um novo espaço que dê lugar às experiências pessoais que temos de realizar, sem cortar a possibilidade de partilhar com os outros as vivências transcendentes, pois sintonizar com os que habitam o nosso próprio círculo é natural e absolutamente necessário. Dessa sintonia nascem e reforçam-se os laços do Grupo de Almas a que pertencemos por direito e por opção e que de uma forma ou de outra se tornam a sua base de sustentação.
Sejamos Guerreiros e Descobridores percorrendo o caminho do conhecimento com o espírito de vencedores neste desafio interminável que é a Vida!
Fiquem bem!

OM SHANTI



quinta-feira, maio 12, 2011

VISUALIZAÇÃO CRIATIVA















As formas definem os espaços por onde a energia flui, canalizada no sentido próprio, sendo a aparência o resultado deste fluxo e refluxo. O que está dentro manifesta-se fora e no fora podemos saber o que está dentro.
A expressão criativa é uma manifestação concreta e ao mesmo tempo, subtil de uma ideia ou objectivo. Deixa-nos “ver” o que é preciso ver para compreendermos em que ponto nos encontramos e o que é preciso fazer. Convém olhar as imagens com alguma distância e, de preferência, sem racionalizar para que a informação chegue e nos sirva como referência para o trabalho proposto.
Com calma olhamos, com olhos límpidos e visão clara, distinguindo o verdadeiro do ilusório para perceber que tudo se altera, tudo se transforma. A Visualização Criativa permite-nos sentir com maior evidência e passar do subtil ao concreto usando o poder do pensamento que nos assiste.
É uma ajuda preciosa no processo evolutivo em que nos encontramos.

OM SHANTI





segunda-feira, maio 02, 2011

EMOÇÕES E CONDIÇÃO HUMANA















As emoções fazem parte da condição humana. A nossa natureza emocional pode provocar-nos alguns sofrimentos, mas isso não significa que não possamos avançar no sentido do equilíbrio. Controlar as emoções significa esvaziá-las de um conteúdo negativo e tomá-las como uma inspiração profunda, acompanhada de uma longa exalação.
As tensões acumulam-se com a incapacidade de expirar convenientemente. Não é preciso “sermos” as emoções, deixando que elas nos bloqueiem a vontade e anulem a auto-estima, um estado de espírito que resulta da negação dos pontos positivos da nossa actuação. Se estivermos conscientes do que somos e formos capazes de progredir no sentido positivo, o que acontece é ficarmos numa posição que nos permita atrair as pessoas adequadas aos trabalhos que nos forem propostos. Não tem de haver um esforço na busca do contacto com os membros do grupo a que pertencemos, pois a escolha desse encontro será feita espontaneamente e cada um terá e fará o seu papel. Ao sermos e estarmos, projectamos uma energia que será recebida por aqueles a quem ela tocar.
As ajudas acontecem durante os processos de desenvolvimento, visto que sem elas tornar-se-ia muito difícil avançar. Haverá momentos em que seremos conduzidos pelas forças em presença. Elas actuarão de acordo com as circunstâncias para que seja cumprido o objectivo primordial. Confiamos porque sentimos segurança nas nossas intenções que, carregadas de Amor incondicional só podem trazer resultados positivos, mesmo se a mente ficar toldada, temporariamente, pelas emoções que a nossa fragilidade humana desperta.
A Paz fica connosco pois a energia divina está presente em cada passo dado na direcção da Luz, acompanhando-nos amorosamente através dos Mestres e dos Guias que têm como missão servir-nos para que possamos ser servidores.

Fiquem bem!

Om Shanti

As







segunda-feira, abril 18, 2011

   

   Dar e um príncipio universal de apoio e sustentação que se aplica a tudo e a todos. Quando damos recebemos na mesma medida, pois essa é a maneira da energia inter-agir.
   Nesta Páscoa projectemos as nossas bençãos para que cheguem a quem delas precisar e a Passagem será, então, sempre feita na base do Amor incondicional.


sexta-feira, abril 08, 2011

MEDITAÇÃO















Aquilo que está para além da aparência existe sob a forma de sensações, gostos e desgostos que tomam forma, na medida em que se lhe dá a força necessária para a sua materialização. A energia que reina em nós leva-nos a criar projecções que se propagam, inconscientemente, até que encontrem o “poiso” adequado.
Quando se amplia a consciência, se a harmonizarmos percebemos melhor as influências a que estamos sujeitos e a que sujeitamos os outros. Controlar a mente é saber gerir a energia cósmica que penetra pelo “chakra” do alto, activando todos os outros até à base, entrando na terra para aí receber nova vida.

Um contínuo DAR e RECEBER!

Bom fim-de-semana!


sexta-feira, março 04, 2011

SOM E SILÊNCIO



Diz-se que o silêncio é a música da alma e escutar esse som, feito vibração, pode provocar uma sensação de bem-estar e um estado de graça. Quando meditamos, chegando àquele ponto em que o corpo se aquieta e a mente estabiliza, entramos em contacto com as mais altas frequências que nos dão a sensação de estarmos a ser embalados. Pode também acontecer entrarmos num silêncio interior onde calamos sentimentos dolorosos, fruto de experiências de vida que acordam em nós a noção da nossa mortalidade. Ao perdermos alguém querido, depois das lágrimas choradas e da revolta que uma perda sempre provoca, fica-nos a ideia de que para lá do corpo há mais vida e que o que prevalece é a memória das vivências em que partilhámos energias e que o amor gerado nessas trocas cresceu mais amplo e mais livre.
Som e silêncio, alimentando o Ser e o Estar neste universo terreno em que a matéria densa nos amachuca e nos faz questionar o sentido da Vida, tal como ela se apresenta. O luto é um processo em que somos postos à prova até conseguirmos relativizar os contratempos da existência e perceber que, verdadeiramente, somos Essência e não aparência. Como é importante trabalhar cada dia no sentido da paz connosco e com aqueles que nos rodeiam e viver cada dia como se fosse o último…

Fiquem bem neste prenúncio de Primavera!!!



quinta-feira, fevereiro 03, 2011

EVOLUÇÃO


“Não sabemos bem o que está para além da personalidade de cada um e ignoramos igualmente a natureza exacta da sua relação com o meio ambiente. Há muito para aprender!!!”

O homem primitivo que reside no fundo do nosso Ser prepara-se para dar alguns passos no sentido da própria evolução, numa fase de transição em que o subconsciente e o super-consciente ainda não se encontram em sintonia. Não se vê o passado e o futuro a não ser através das imagens difusas dos sonhos ou das visões, com laivos de intuição que por vezes, confundem a razão.
A filosofia do Yoga, permite-nos desenvolver a ideia de que razão e intuição deverão andar a par, para que seja possível avançar com o conhecimento, feito de prática e experiências, vividas com a confiança que os apoios dão. Não é possível crescer espiritualmente sem uma estrutura adequada, uma direcção presente, a servir de espelho e a dar a segurança necessária ao processo. A relação mestre/discípulo é fundamental até que se encontre o mestre que está dentro. A vida na matéria não é fácil… Tudo leva o seu tempo e a dedicação suficiente. A energia desenvolvida com o trabalho físico (Hatha Yoga), os exercícios respiratórios (Pranayama), as técnicas de descontracção (Pratyahara) e, por fim, a meditação (Samadhi), permite criar um campo de forças que liberta o Ser das influências ambientais a que está sujeito.
Estamos sempre a aprender e a ideia de ir à descoberta através dos caminhos que se apresentam, é fascinante e, ao mesmo tempo, assustador! Dizemo-nos criaturas de Deus, mas estamos sempre com medo que esse Deus em que acreditamos nos falhe, não nos proteja, nem nos guie… É certo que, algumas vezes, nos damos conta de presenças que, sem querer, assumem o desejado papel. Quem não viveu a experiência de sentir que alguém veio em nosso socorro sem que o pedido de ajuda tenha sido feito formalmente? Claro que, à partida, é preciso estar disponível para receber essa ajuda e acreditar que se é merecedor dela e que o factor kármico tem o seu papel. Muitas vezes é necessário viver experiências que sirvam de lição ou que resolvam acções pendentes. Todos trazemos karmas do passado que uma vez saldados, nos permitem seguir em frente mais leves e mais livres.
A evolução é um processo que requer atenção, muita paciência, muitas ajudas e com a esperança renovada a cada instante em que a consciência nos permite dar e receber na mesma medida.
Bom fim-de-semana! Fiquem bem…





segunda-feira, janeiro 17, 2011

PARAGEM NO TEMPO




PALAVRAS QUE DÃO PAZ SÃO PALAVRAS BOAS, BELAS E VERDADEIRAS, SÃO PALAVRAS DE HARMONIA.”

                                                                       BHAGAVAD GITA

Serve esta introdução para retomar a sequência do contacto feito através deste meio. Como já tenho dito, só escrevo quando sinto esse apelo irresistível e a ocasião o justifique. Não devemos precisar de razões, pois a razão nem sempre as conhece…
O mês de Dezembro foi particularmente atribulado cá para os meus lados! Acho que os astros deviam estar muito mal posicionados, provocando situações algo complicadas a vários níveis. Não venho fazer deste espaço um muro de lamentações, apenas dar a entender que quando os sobressaltos acontecem, não há energia que chegue para mais nada a não ser sobreviver com o ânimo possível, arregaçar as mangas, respirar fundo umas quantas vezes e esperar que o tempo siga o seu passo. Foi isso que fiz…
Vale-me sempre o apoio familiar e dos amigos mais próximos para poder chegar agora aqui e dizer que comecei outro tempo, outro modo. Nem foi preciso fazer a passagem do ano com promessas ou desejos, porque as circunstâncias se encarregaram de me/nos mostrar que o caminho continuaria a ter os seus obstáculos, mas que esta etapa estava passada. De notar a ideia que todas as técnicas do Yoga e seus derivados (sim, quase tudo tem como base esta filosofia), são de grande utilidade, quando aplicadas a seu tempo e com a consciência ampliada o suficiente para concentrarmos a energia bastante no objectivo que se apresente. Ao darmos atenção ao Sentir que se manifesta no corpo, podemos manter um diálogo que permita negociar com as sensações e entendê-las a seu tempo. Nem sempre as informações se apresentam claras, até porque estamos sujeitos a preconceitos e a ser constantemente metralhados por outras que se mostram, igualmente, incisivas ou pertinentes. Todos dão a sua opinião, todos dão conselhos, que aceitamos pela sua bondade, sinceridade ou pela sua justeza. A partilha é um factor importante na vida social ou afectiva, sendo necessária uma disponibilidade e uma capacidade de discriminar para que as ajudas sejam, realmente, efectivas e consequentes.
Passou-se o mês de Dezembro e cá estamos prontos para levar por diante o novo ano, com a coragem e a determinação que nos prometem ser as ferramentas essenciais para levar a bom termo a missão que nos cabe, dentro do Grupo de Almas a que pertencemos. Respiro fundo e volto a agradecer aos meus Deuses mais uma oportunidade para aprender sobre mim própria e sobre a minha relação com os que me rodeiam e com os sobressaltos próprios da vida na matéria. É muito bom ajudar, mas ainda melhor contactar com ajudas e fazer, de vez em quando, umas paragens no tempo… E voltar aqui com alegria, saboreando a presença de todos e cada um neste campo virtual e, ao mesmo tempo, palpável.

Fiquem bem!