A minha Lista de blogues

segunda-feira, dezembro 31, 2012

ANO NOVO, NOVA ETAPA...






A paz é um estado de espírito que se alcança quando as sensações apenas provocam alegria contida e uma satisfação plena que nos ultrapassa. Estar em paz é viver assim, sem medo e sem expectativas!





Sempre que se apresenta um novo ano fazemos votos e manifestamos desejos próprios, que fazem parte de uma vontade de ser e estar o melhor possível. Os pensamentos predominantes são o factor que determina o evoluir dos nossos processos e, por isso, vamos acreditando que o karma do futuro será melhor e que vamos ser capazes de fluir com as circunstâncias, tirando partido do que se vai apresentando, seja para aprender, ensinar ou cumprir o que nos foi proposto ou em que apostámos.



A relação com os outros, familiares ou sociais, tem uma grande importância e é preciso que estejamos atentos aos sinais que nos mostram o nosso sentir. A vibração estabelecida permite-nos entender até que ponto e até quando, essas ligações terão de ser mantidas. Dar e receber na mesma medida é uma regra a ter em conta. Quando nos sentimos bem, significa que estamos certos e que esse contacto serve ambas as partes e o objectivo.
Ao longo dos anos e com as experiências vividas, fui aprendendo que só estamos com quem temos de estar e que, uma vez terminado o papel dessa circunstância, o afastamento se dá ou passamos a ter outro tipo de ligação, que não passa pela necessidade de contacto directo. São ligações de alma! Se tivermos tido vivências muito intensas e profícuas, a ligação prevalece para além do tempo de contacto pessoal. Acredito que pertenço a um grupo de almas específico e que, mesmo afastadas fisicamente, as nossas almas continuam ligadas. As memórias não se apagam e funcionam como guias pela vida fora. As lembranças alimentam-nos e permitem-nos seguir pelos caminhos que se vão mostrando, dia-a-dia, passo a passo.
Novas experiências e novas ligações nos esperam, pois são essenciais ao fortalecimento do nosso EU espiritual nesta passagem pela Terra. Um grande mistério, uma grande aventura que é viver, que nos mantém alerta e com vontade de ir à descoberta de um futuro que, constantemente, se faz presente.
Que o Novo Ano nos ofereça cada vez mais oportunidades para SER e ESTAR, em harmonia com o que verdadeiramente somos, e disponíveis para DAR e RECEBER na mesma medida…



FELIZ ANO NOVO!




segunda-feira, dezembro 17, 2012

RECONHECER


   

“O reconhecimento dos caminhos que nos servem é uma tarefa que requer atenção constante, para que não se percam de vista os sinais indicadores da direcção a tomar e dos perigos a evitar. Deste modo, podemos seguir sem hesitações, mas com algumas pausas, na certeza de que seremos sempre conduzidos da melhor forma e de acordo com os objectivos a alcançar. O livre arbítrio permite-nos escolher os meios e os modos de prosseguir com as tarefas a desempenhar.”
     Cada vez mais penso que o Natal é amar o próximo como a nós mesmos, por isso, aqui vos deixo os meus votos de feliz Natal e um ano novo levado com ânimo e a esperança em alta!

                                               

quarta-feira, novembro 28, 2012

ENCRUZILHADA









“As encruzilhadas da vida dão-nos uma hipótese de escolha para que possamos seguir sem vacilar, prosseguindo no cumprimento dos objectivos da própria existência. Só é preciso dar um pouco de atenção e esperar que os sinais indiquem, claramente, o caminho a seguir, deixando que as dúvidas se diluam.”


Sabendo que os tempos não estão fáceis, tomemos estas mudanças como oportunidade de fazer o que de melhor estiver ao nosso alcance, olhando os sinais de coração aberto e disponíveis para aprender o que tivermos de aprender com os obstáculos a ultrapassar e que os desafios estimulem a criatividade e a capacidade própria de uma consciência ampliada. A força é aquela de um guerreiro que vai à luta, sem vacilar, contando com as ajudas dos companheiros e dos guias que lhe assistem.
A vida vai-se apresentando e vamos fluindo, com a certeza do dever cumprido e com a esperança de dias mais fáceis e de outras eventuais mudanças…

terça-feira, novembro 13, 2012

MUITAS VIDAS... ALGUNS MESTRES




Quando nos sobra tempo útil, a ocasião presta-se a meditar e a uma tomada de consciência que nos permite fazer uma revisão à vida vivida e preparar a aceitação da vida que se apresenta, com a perspectiva de que é, simplesmente, a continuação de um processo que se iniciou algures no tempo e no espaço.
As muitas vidas que já experimentei, proporcionaram-me vivências de toda a ordem, algumas extraordinárias, tendo o privilégio de ter podido aprender com alguns mestres que, talvez, nem soubessem que o estavam a ser. Continuo a acreditar que ninguém ensina nada a ninguém, pois somos nós que temos de aprender por conta própria, se soubermos estar atentos aos sinais e ao significado daquilo que se vai apresentando, em termos de desafios ou obstáculos a ultrapassar. As leituras que vamos fazendo dão-nos a ideia do ponto de evolução em que nos encontramos e daquilo que nos serve de lição. É verdade que podemos aprender com os erros, mas são as vivências gratificantes que nos dão o poder e a força para não soçobrar e acreditar que vale a pena seguir em frente, contando com os companheiros de jornada e as ajudas que os Deuses nos oferecem pelo caminho.
Saber que sabemos é apenas um passo que damos com alguma segurança e a esperança de ver cumprida a missão proposta para esta passagem. A confiança é um estado que a consciência do dever cumprido (“dharma”) nos dá, como resultado das acções que levam consigo a intenção de fazer mais e melhor (lei do “karma”).
Vivemos, de facto, muitas vidas nesta vida, guiados por vários mestres até chegar a ser o mestre, que também somos!!!



quarta-feira, outubro 31, 2012

INFORMAÇÃO

Caros amigos(as),

Tem a presente mensagem para vos comunicar que, a partir de agora, as informações relativas às actividades do "Satasanga"" passarão a estar no blog: satsangainforma.blogspot.com, ligado a este.

Um abraço,



sexta-feira, outubro 26, 2012

AUTONOMIA




      Vive a tua vida fazendo as coisas que queres, desde que decidas em liberdade, com a consciência que essa atitude acarreta.



      Lembra-te que:

 É teu direito fazer o que quiseres, sendo responsável pelos teus actos.

 É teu direito alimentar a autoestima com sinceridade.

 É teu direito, não te submeteres à negatividade dos ambientes.

 É teu direito mudar de opinião, sempre que sentires necessário.

 É teu direito defenderes-te quando a razão te assiste.

      Porque…

     A repressão das emoções pode levar à perda de contacto com a própria realidade. Sempre que se expressam emoções está-se a mostrar o que se pensa e sente. Não o fazendo, deixa-se de passar uma informação útil, dando origem a uma cadeia de enganos que a ninguém beneficia.
     As emoções, tal como os impulsos, são mensagens que têm alguma coisa a afirmar. Se não se expressarem não é possível a implicação dos próprios sentimentos. Qualquer emoção, sentida e aceite, revelará naturalmente, o seu significado ou intenção.
     A partir do momento em que se entende isto, as emoções transformar-se-ão em algo mais, passando a ser um meio indispensável de autoconhecimento, com o qual se vai dando forma à vida.









quarta-feira, outubro 17, 2012

POLARIDADES



ATRACÇÃO ↔ REPULSA

PACIÊNCIA ↔ INTOLERÊNCIA

HUMILDADE ↔ ARROGÂNCIA

VERDADE ↔ MENTIRA

LIBERDADE ↔ MEDO

DESAPEGO ↔ POSSESSIVIDADE

PERDÃO ↔ CONDENAÇÃO

Os sentimentos regem-se pela capacidade de perceber a natureza dos pensamentos predominantes e a relação com os outros é determinada por uma atracção ou por uma repulsa que se manifesta no corpo e se regista na mente como uma ferramenta que nos serve para as lutas do dia-a-dia.
Aqueles que nos estão próximos, podem-no estar na medida em que com eles tivermos laços de sangue, de amizade ou através de um contacto mais subtil que a razão não explica. Neste último caso, essa ligação não passa pelo afecto ou pela necessidade de cooperação e pode ser de longa ou de curta duração, em termos materiais (físico ou emocional), mas perdura no tempo, visto que significa que se faz parte do mesmo grupo de almas.
Aquilo que cada um aspira ou ambiciona é o propósito de um destino que se escolheu ou para o qual se foi escolhido. É absolutamente necessário viver de acordo com as aspirações que se manifestam, seja em pensamento ou acção, com a consciência desperta e atenta.

SER e ESTAR em harmonia…







terça-feira, setembro 25, 2012

EVOLUÇÃO





Dentro da esfera das possibilidades e probabilidades para a alma se elevar para além da sua humanidade, existem muitas oportunidades de desenvolvimento, incluindo aquela em que esta pode escolher um caminho de evolução mais recôndito, em vez daquele que lhe pareceria mais acessível ou adaptável à sua energia e vontade. Nessa circunstância, a consciência amplia-se e o desenvolvimento espiritual acontece. É uma porta que se abre, por onde a alma entra com coragem e confiança, avançando ao encontro da própria essência. As experiências que se seguem precisam de ser levadas com a segurança de quem sabe que sabe, com as ajudas necessárias à ultrapassagem de obstáculos, nem sempre fáceis, mas que permitem sentir a força que levará ao conhecimento adequado.












sexta-feira, setembro 07, 2012

RELAÇÕES


Vivemos em grupo, seja familiar, social ou religioso e o contacto que estabelecemos com cada membro, directa ou indirectamente, permite-nos uma comunicação que pode resultar em atracção ou repulsa. Vamos respondendo aos sinais que nos apontam o caminho a seguir. Quando falamos, olhando o outro nos olhos, o contacto é intenso, podendo desencadear desconforto ou mesmo medo. Se, pelo contrário, o nosso olhar provocar um sorriso podemos estar certos de que a comunicação estabelecida é favorável.
As sensações acordadas em nós pela reacção alheia, orientar-nos-ão no sentido adequado. As rejeições mais violentas são sentidas como uma necessidade de actuar de alguma maneira. Todo o corpo se agita e se prepara para a luta ou para a fuga. Quando a sintonia acontece a reacção principal é de conforto ou mesmo prazer. O corpo relaxa, abandona-se ao contacto, numa entrega total. Neste caso, a receptividade é uma constante e a comunicação dá-se nos dois sentidos, emissor e receptor na mesma onda, contruindo um diálogo e uma acção produtiva. Os instintos adormecidos reservam toda a energia para o objectivo que se apresentar.
A luta e a fuga são ferramentas extremamente eficazes desde que se usem na medida e ocasião próprias. Muitas pessoas não respeitam os sinais e confundem-nos, crendo que o uso da razão se deve sobrepor a tudo. A razão funciona, ela mesma, como instrumento de acção imediata, mas é apenas o braço que serve a intuição. Se estivermos atentos aos sinais, receberemos as mensagens e as propostas para actuar e servimo-nos então da razão para pôr em prática as ideias formuladas no pensamento.
O contacto com os outros é o espelho ideal, pois essas relações proporcionam um despertar da consciência. Quantas vezes ouvimos de alguém a palavra que faltava ao nosso discurso? Quantas vezes nos apercebemos de que a nossa conduta não estava de acordo com os princípios solidários, só porque houve uma reacção de desagrado da parte de quem connosco convive? E que dizer das companhias que atraímos? Não serão elas o reflexo do nosso estado de espírito? Diz-me com quem andas…
Os sinais não têm nada de misterioso. Aparecem sob várias formas, muitas vezes evidentes, e manifestam-se abertamente. O corpo agita-se ou acalma-se, de acordo com as provocações externas; muito para além da aparência estão aquelas manifestações de carácter vibratório que só escaparão aos menos atentos. A unidade que somos está, certamente, no TODO, como elos que somos de uma cadeia, sofremos influências que regem a nossa existência com um critério que, às vezes, e em parte, nos transcende, e ao qual chamamos destino ou obra de Deus.

Todo o mundo, toda a vida é um vasto sistema de inconsciências, operando através de consciências individuais. Assim como dois gases, passando por eles, uma corrente eléctrica, se faz líquido, também com duas consciências – a do ser concreto e a do ser abstracto – se faz, passando por elas a vida e o mundo, uma consciência superior”.

Fernando Pessoa in “O Livro do Desassossego”





terça-feira, agosto 21, 2012

NOTÍCIAS E INFORMAÇÕES




     A paz é um estado de espírito que se alcança quando as
sensações apenas provocam alegria e uma satisfação plena que nos ultrapassa. Estar em paz é viver assim, sem medo e sem expectativas!

                                Maria Emília



 - No dia 3 de Setembro, recomeçamos com o horário habitual, esperando que seja possível mantê-lo com uma frequência justificável.

 - Dia 8 de Setembro, aula do Curso “Sentir Energia – II Nível”, das 15.30 às 18:30.

 - Dia 22 de Setembro: Encontro com Maria Emília (Satsanga), às 15:30, com o tema “Yoga, uma Terapia de Corpo e Alma”.

                                                (Entrada Livre)

 - As sessões com os alunos que acabaram o curso serão agendadas proximamente.

segunda-feira, julho 23, 2012


GRUPO "SURYA"
SENTIR ENERGIA - 2010 * 2012




                                                        
Yoga é o Caminho do guerreiro que, no seu processo de desenvolvimento vai descobrindo a própria essência através do SENTIR, pondo em prática os ensinamentos propostos, numa aprendizagem feita de solidariedade e aplicação das ferramentas disponíveis a cada passo.
O grupo foi-se afirmando e consolidando empatias. As experiências vividas manifestaram-se nas acções que permitiram trabalhar o que se foi apresentando, em termos de matéria de entendimento do que somos e do papel que nos foi destinado nesta passagem pela Terra.

Terminámos em festa e apostando em novos encontros…

OM SHANTI






quinta-feira, junho 28, 2012

NOTÍCIAS E INFORMAÇÕES



“A partir do momento em que a consciência do “SI” se torna realidade, as mudanças internas fazem-se com confiança no processo de desenvolvimento. A solidariedade é um dos factores primordiais no avanço do Conhecimento e no sentido da realização pessoal. Os Guias e os Mestres apontam-nos o caminho, mas somos nós a desejar seguir por ele.”

                                  MariaEmília

                                                     



Mais um Verão que chega e é tempo de fazer o reconhecimento das vivências que todos os trabalhos propostos proporcionaram, aulas práticas de “Hatha Yoga”, “Meditação” e os cursos que
desempenham o papel de incentivo à descoberta do que somos e de como agimos, num processo de desenvolvimento adequado às circunstâncias e às condições pessoais e colectivas.
O 2º curso “Sentir Energia” termina ao fim de 3 Níveis, feitos em 3 anos e foi um prazer trabalhar com o grupo, a que se decidiu chamar “SURYA” (Sol). Os que participam no II Nível do 3º curso, são estudantes interessados que partilham igualmente as suas experiências de vida e a solidariedade é uma constante apreciável.



HORÁRIO DE VERÃO


Este ano mantemos o Centro a funcionar durante o mês de Agosto, com o horário das 18:30 (3ªs e 5ªs), aproveitando este tempo para manter contacto com os praticantes, sendo as aulas basicamente de “Hatha Yoga” e alguma meditação.

ATENDIMENTOS
  • 3ªs e 5ªs - das 15:00 às 17:00 (Marcação prévia)



                                      O Centro reabre no dia 3 de Setembro.



terça-feira, maio 29, 2012

CONTACTO





Eu sou o mar, tu és a gota de água que se dilui nas minhas ondas, numa dissolução total.

Eu sou o rio, tu és o peixe que nada no meu seio de águas límpidas, fluindo com a corrente.

Eu sou a árvore, tu és o vento que agita os meus ramos, provocando a minha flexibilidade sem me arrancar do chão.

Eu sou a lenha, tu és o fogo que me queima sem ferir, buscando a purificação nas chamas do amor.



O contacto com os outros faz-se de acordo com os elementos em acção e o resultado corresponde a uma combinação, que será tanto mais perfeita quanto maior for a entrega dos intervenientes, respondendo a impulsos profundos e em total confiança.
Mergulharmos na dor ou banharmo-nos na alegria é sentir a essência da vida em todos os seus aspectos, na certeza de que sairemos reforçados e mais livres, enfrentando todos os desafios com plena consciência da nossa capacidade de seguir pela senda que escolhemos, determinados e seguros. Tocar os outros, deixando que os movimentos se desencadeiem, sem expectativas nem restrições, é uma experiência emocionante, pois que nos leva à aventura e a grandes descobertas.
Estamos sós, mas não sozinhos! Podemos então acreditar que a solidariedade é uma circunstância onde tudo pode acontecer: os que têm dão aos que precisam, sem provocar desfalques. O princípio dos vasos comunicantes ao mais alto nível…

Fiquem bem!














sexta-feira, maio 18, 2012

ARTE DE VIVER






Estar aqui e agora, num momento de pausa, permite-me sentir o corpo e transcender a matéria, percebendo que o que está para além de mim é a própria vida, pura essência que me leva para onde tenho de ir, moldando-me aos tempos e aos espaços. Estou onde estou para cumprir um destino até alcançar a libertação dos pesos que me aprisionam e ultrapassando os obstáculos que me impedem, por vezes, de ser o que tenho de ser e fazer o que tenho de fazer.
A materialização do pensamento passa por uma purificação. Vamos retirando os véus da ignorância e reconhecendo o que está por detrás do esquecimento. SABÍAMOS, mas não sabíamos que sabíamos! Tudo o que somos ou fazemos são apenas formas de expressão que usamos como veículos que nos levam a alcançar outros tempos, outros espaços. É preciso silêncio para calar bem fundo aquilo que não precisamos de ser para SER. O silêncio é um mar de calma onde os pássaros reflectem as suas asas ao pairarem no ar.
Nas profundezas de um oceano de paz, mergulhamos para ir ao encontro do conhecimento que, algum dia, nos escapou. Envoltos pelas águas, diluímos as nossas dúvidas e temores, como um pingo de chuva que se confunde, se integra nas águas temperadas pelo sal da vida. Não é preciso querer ser alguma coisa, pois já somos TUDO! As dores, os cansaços, as alegrias já não são obstáculo. A relação com os outros far-se-á cada vez mais pelos silêncios do que pelas palavras. Não precisaremos de explicar tanto a tanta gente, para que sobre mais tempo para o que é, realmente, importante: A ARTE DE VIVER!!!
Fiquem bem! Bom fim-de-semana.




quinta-feira, abril 26, 2012

PALAVRAS NÃO DITAS - SENTIDAS!




 

Passo muito tempo em meditação, por força das circunstâncias e por opção. O silêncio que se instala nessas ocasiões, acorda em mim memórias e emoções, com as quais dialogo tranquilamente, para que a sua vibração se manifeste e o entendimento seja uma realidade para além dos desejos.
As palavras que vão surgindo tomam a sua forma e projectam a energia que lhes corresponde, deixando que sigam o seu caminho, sem expectativas nem direcção intencional. O pensamento é um campo de acção vastíssimo e, ao longo dos tempos, dele me tenho servido para que as informações que me chegam tomem o seu rumo e, ao mesmo tempo, deixando lastro ou tomando forma que se apresente como a escrita de alguém que, também, tem necessidade de comunicar no concreto, sentimentos ou ideias que outros poderão agarrar, ou NÃO…
As palavras não ditas, mas sentidas, têm o seu peso, chegando a quem têm de chegar ou, simplesmente, ficando a pairar como uma nuvem carregada de mais-valia para o universo, aí onde reinam os deuses e os mestres, que as alimentam e devolverão de acordo com as necessidades ou circunstâncias. Palavras aqui escritas ou, alguma vez pronunciadas, não têm, necessariamente, de ser entendidas, mas sim vividas à luz da experiência pessoal que têm exigências e oportunidades próprias.

Fiquem bem!






terça-feira, abril 24, 2012

LIMITES



Quando o corpo nos diz que já não é possível absorver mais energia do que aquela que é capaz de gerir, é preciso que nos distanciemos das emoções carregadas de contradição que tenham provocado angústia ou desconforto. A tristeza que, subitamente, nos invade é o sinal de alarme que nos devia obrigar a accionar mecanismos de segurança que permitam mudar o rumo das coisas. O crescimento espiritual envolve um trabalho em que o sentir tem papel predominante. Vamos aonde temos de ir e estar com quem temos de estar, sendo o sofrimento um factor a ter em conta, pois a dor é o impulso que nos deve levar a fazer novos acordos ou mudanças de atitude, restabelecendo a harmonia indispensável à progressão dos processos iniciados.
À partida é preciso descobrir a origem e razão do problema, pois só é possível corrigir o que se conhece e, a partir daí, buscar a melhor forma de restabelecer o equilíbrio no sentir do corpo, que se manifesta instintivamente perante uma agressão. Sempre que alguma coisa ou alguém nos aflige ou sufoca excessivamente, pode querer dizer que a nossa actuação despertou e se abriu a esse contacto, seja presencial ou através do pensamento. Energia que não seja aplicada convenientemente ou sem uma boa receptividade de parte a parte, acaba por provocar mal-estar ou “intoxicação”. É verdade que não vivemos em redomas, por isso, é fundamental que estejamos atentos ao que o corpo nos “diz” e responder adequadamente às circunstâncias ou situações, com as “ferramentas” adquiridas através da experiência que as relações humanas proporcionam.
Os limites que nos impomos, servem para que DAR e RECEBER tenham a mesma medida, emissores e receptores que se complementem e se invertam constantemente. “Dar o que é preciso, à pessoa certa na hora certa”, segundo o Bhagavad Gita, é a grande sabedoria que nos permite evoluir com segurança, tranquilidade e sermos, ao mesmo tempo, pacíficos e pacificadores.

Fiquem bem!





quinta-feira, abril 12, 2012

REVELAÇÕES




Qualquer relação, pessoal ou colectiva, pressupõe uma gestão da energia que por ela circula e que resulta de uma combinação de forças que umas vezes se complementam e outras se contradizem. A harmonia estabelece-se em consequência de uma expressão contínua de sentimentos que se vão desenvolvendo à medida que os conhecimentos se aprofundam e se consolidam.
As afirmações ou as negações do que somos ou gostaríamos de ser são as pistas que nos levam a descobrir que, o que verdadeiramente conta, é a própria essência. Tudo quanto esteja por detrás das aparências, é uma luz que surge nas sombras para que possamos ver o campo de acção onde as dúvidas se projectam. O que revelamos ou desejamos que nos seja revelado, não pode ser confundido com as projecções resultantes das experiências vividas no compasso de espera que nos permitiu amadurecer o suficiente para não nos deixarmos cair nas malhas de sensações mesquinhas ou passageiras. O jogo de luzes a que nos habituámos serve apenas para esconder aquilo que, na verdade, só pode ser dado a conhecer a quem tiver o entendimento adequado, a sensibilidade própria dos seres que habitam as mais altas esferas do conhecimento.
Há barreiras que são sistemas de segurança para que não se perca o resultado das acções do dia-a-dia, mantendo uma atenção constante e uma destreza de pensamento que nos ajude a perceber que estamos ligados e fazemos parte da mesma estória, mantendo um diálogo vivo e sincero, sem que seja preciso adivinhar os sonhos que sonhamos e sem deixar de aceitar as diferenças.
A realização pessoal e colectiva depende da atenção dada ao que sentimos e do prazer em saborear contradições próprias da individualidade, fruto de experiências pessoais, ao mesmo tempo que se vai tendo a alegria de viver uma experiência espiritual que nos permita ser agentes de cura própria e de outrém.
Nas relações pessoais ou de grupo, é importante:



 Reconhecer que é nosso direito sentirmo-nos bem!

 Perceber que a responsabilidade é sempre nossa!

 Aceitar a liberdade alheia, refreando as expectativas!

 Mudar o rumo da nossa actuação para evitar repetições!

 Lembrar que o grande poder está em nós!!!





Fiquem bem!





quarta-feira, março 21, 2012

CONHECER A VIDA

À medida que avançamos na idade, tomamos cada vez mais consciência do efémero que é o tempo e como as memórias vão sendo um lastro que nos acompanha de uma maneira ou de outra. Vive-se cada momento como se fora o único e, quem sabe o último, com a intensidade própria da sensibilidade humana. A arte de viver implica sentir as emoções e descodificá-las a cada passo, entendendo a sua natureza específica que pode ser uma maneira de orientar a sequência dos acontecimentos que fazem parte da existência.
As mudanças que se vão operando no caminho traçado, permitem reconhecer que o universo não é estático, que as etapas se vão sucedendo e que é preciso capacidade de adaptação às circunstâncias que nos possam levar aonde temos de ir e fazer o que temos de fazer, com a sabedoria que a experiência nos alimenta. Olhamos o passado como reserva que deixa escrita a nossa história e que nos lembra a validade de tudo quanto fizemos e ultrapassámos.
Não sou saudosista, mas preciso de tocar o meu passado de maneira a buscar alento quando o ânimo soçobra ou quando preciso entender a razão de algum comportamento. É que estamos sempre a repetir sensações, vivências e emoções que foram deixando as suas marcas… O corpo manifesta-se e reproduz o toque antigo, mesmo que a situação não seja aparentemente a mesma. O sentimento é que é semelhante e, por isso, acorda essas memórias que nos dizem muito, permitindo avançar com compreensão e a prova de que a natureza é, verdadeiramente, sábia.
Conhecer a vida é ter os pés assentes na terra e a cabeça nas nuvens… Fluindo com as circunstâncias e usufruindo da energia que o universo nos oferece!

Fiquem bem, chegou a Primavera!!!!!!!!


segunda-feira, fevereiro 27, 2012

PASSADO, PRESENTE E FUTURO



Quando nos recordamos do nosso passado não podemos deixar de pensar que as histórias que fomos escrevendo ao longo da existência representam uma referência primordial na nossa actuação presente e, naturalmente, na futura.
As experiências vividas dão um cunho à nossa personalidade sendo que, inevitavelmente, essas impressões são o motor que nos permite usar a sabedoria acumulada para que a aceitação daquilo que somos não seja uma repetição monocórdica de velhos mitos e preconceitos. Aceitar o que somos é o primeiro passo para estarmos em condições de nos entregarmos a relacionamentos, sociais ou afectivos, dando-lhe um tempo e sintonizando com os ritmos e apetências de todos e cada um. Só assim conseguiremos ter a paciência e a tolerância para esperar que as energias fluam num caudal tranquilo e borbulhante, porque vivo e límpido, fazendo e sendo o que temos de fazer e ser.
É indispensável estimular as relações das quais depende a nossa evolução. A nossa presença, a dos nossos parceiros e aliados é um factor essencial à correspondência mútua em cada momento ou circunstância. Essa interacção torna-se numa comunhão de ideias sem, no entanto, se perder a própria identidade ou criar uma dependência inadequada.
O que desconhecemos é uma realidade que nos deve levar a ter em consideração diferentes perspectivas, abarcando um horizonte mais vasto, deixando em aberto outras possibilidades. Os padrões de comportamento que têm marcado a nossa evolução podem muito bem ser um impedimento para a transformação que se exige ou deseja. Os casulos têm de ser quebrados para que as asas das borboletas recebam o calor que as fortalecerá, permitindo que voem mais alto e mais longe.
Saradas as feridas e amando o passado sem o questionar, ficamos livres, de modo que as projecções actuais não mais voltem a ser representações fantasiosas de um EGO inflacionado, mas timorato. As máscaras que usamos, acabarão por cair… Incentivar una acção conjunta é dar a devida importância ao objectivo proposto. As intenções serão tanto ou mais puras quanto menores forem as expectativas. Apoiar alguém, ou alguma coisa, é uma responsabilidade que não é enjeitada por quem é livre no SER e no ESTAR. Escutando a voz da consciência, dando o benefício da dúvida, pode-se levar a bom termo uma missão, mesmo que o seu sentido nos transcenda.

Que mais podemos desejar?
Fiquem bem!

sábado, janeiro 21, 2012

CAMINHO
















Noutro espaço e noutro tempo, começou a minha viagem, conduzindo este barco/corpo/mente com determinação e coragem pelo simples facto de acreditar que vale a pena manter o rumo estabelecido, com a confiança de quem se sente protegida e guiada, apesar de todas as tempestades e deslumbramentos. Cumprida cada tarefa, ultrapassada cada etapa, resta-me meditar e agradecer o que foi semeado e se desenvolveu com segurança.
A esperança faz parte da realidade construída por aqueles que despertam a consciência, ajudando a Terra e os que nela habitam, a libertar-se de influências perversas que a impedem de desenvolver sociedades mais harmoniosas e pacíficas. Com uma visão cósmica é possível alcançar as mais altas esferas, aí onde reinam os Deuses, os Mestres e os Anjos que entram em sintonia com aqueles que se disponibilizam para entrar nesse contacto e receberem a energia de que precisam para cumprir os seus objectivos. Acredito!
Nestes tempos em que se operam grandes mudanças, é absolutamente necessário que o grupo espiritual em que nos encontramos, reforce os seus laços e se afirme como uma força em que a individualidade se torna mais consciente do TODO a que pertence.
SER e ESTAR em cada momento, com a certeza de que os gestos e as palavras se projectam muito para além dos limites habituais.
A Paz está no coração dos homens que vivem em alegria e satisfação pelo dever cumprido.

Fiquem bem e bom fim-de-semana.