A minha Lista de blogues

segunda-feira, setembro 22, 2008

NOVA ETAPA





Os Deuses falaram através das “Runas” e disseram:

"Nesta nova etapa, a paciência é um factor a ter em conta, pois o Caminho da auto-realização requer uma atenção dada à partilha como acto sagrado, para que se possa avançar com a coragem necessária para enfrentar os obstáculos a transpor e aceitar os privilégios que fazem parte do processo de iniciação inevitável."

Esta mensagem, que passei para o Grupo espiritual onde me encontro, contém dicas importantes que importa realçar quando damos atenção ao que está expresso. Falo por mim…
À medida que avançamos no processo evolutivo, vamos ganhando alguma flexibilidade ou tolerância para com os demais mas, por vezes, falta-nos a paciência para aceitar que o desapego é a coisa mais difícil de atingir, sem que se torne em indiferença declarada. No meu caso, por exemplo, cansa-me ter de trabalhar "o deixar ir" os que comigo caminharam grandes e importantes etapas. Entendo perfeitamente o sistema, ou seja, sei que só estamos neste mundo para aprender e ensinar e que quem surge no nosso caminho tem um desses papéis ou funciona como espelho enquanto for preciso. Na minha perspectiva, aprendemos muito quando ensinamos e só ensinamos aos que estiverem disponíveis para aprender. Tenho aprendido imenso com quem não faz ideia de que me está a ensinar… É claro que é tambem muito agradável estar com alguém em boa companhia, num “dar” e “receber” contínuo e equilibrado mas, mesmo essas, são ocasiões para grandes lições de vida. A convivência com os meus pares tem sido a minha grande Escola! A atenção que damos aos outros e às acções conjuntas, permitem-nos avaliar comportamentos próprios e alheios e perceber em que ponto de evolução nos encontramos. A partilha, seja ela qual for, é um acto sagrado e, como tal, precisa de ser regulada para satisfação de ambas as partes. Não podemos dar a quem não está em condições de receber, nem devemos forçar a nossa presença para que a troca de energia se dê harmoniosamente e seja enriquecedora para ambas as partes.
Aceitar os privilégios, creiam que não é fácil, porque a nossa auto-estima nem sempre está no seu melhor. É verdade que, quando temos obstáculos a ultrapassar, nos sentimos vítimas do sistema, mas quando as ajudas chegam ou nos acontece algo extraordinário, achamos que não tínhamos feito nada para o merecer. O gozo e o prazer são vivências que escapam ao culto do sofrimento que faz parte da ideia de que só atingimos o Céu quando nos sacrificamos! É evidente que este sentimento é mais apanágio das mulheres que têm de se sentir culpadas por isto ou por aquilo. Que me perdoem os homens...
O processo de iniciação é inevitável, não dá para olharmos para trás, a não ser para louvarmos a nossa história, as nossas memórias que formam o manancial de sabedoria que conquistámos de alguma maneira. Essa é a lei do Karma.
Meditar é o que nos permite descobrir e seguir em frente com confiança. Acabei de meditar convosco e, só por isso, estou grata pela oportunidade de partilhar “sentires”.
Fiquem bem!

segunda-feira, setembro 15, 2008

EMOÇÕES À SOLTA



Este fim-de-semana foi particularmente excitante, com as emoções a dispararem. Venho contar-lhes, porque tenho esta mania de partilhar sensações, alegrias e tristezas, com quem aprecia e vive nesta mesma onda.
O meu neto mais velho, estava inscrito para a Faculdade de Medicina e as notas dele são excelentes, mas não a ponto de ficar descansado quanto à possibilidade de entrar, sobretudo em Lisboa. Como sabem, as notas para estes cursos são muito elevadas, pois as vagas não são tantas quanto as necessidades do país e tirar um curso fora de casa é um grande rombo na carteira, para além da grande preocupação para quem está habituado a ter os filhos debaixo da asa. Portanto, a ansiedade estendeu-se até à meia-noite de sábado para domingo, com a família reunida em frente ao computador, de elementos de identificação em punho para o acesso à notícia esperada, ao mesmo tempo que se faziam apostas quanto às probabilidades propostas pelo candidato.
Dado o sinal de “partida”, introduzido o nome e o B.I. do rapaz, logo ali ficámos a saber que ele, não só tinha entrado, como lhe calhou a Faculdade que mais lhe interessava (a Nova, em São José)!!! Se lhes disser que houve saltos e choros de alegria, será pouco para descrever a onda de emoções que varreu aquela sala. Para além dos abraços, começámos a partilhar com familiares e amigos a boa nova e a noite prolongou-se para além do habitual com a adrenalina ao rubro! O rapaz tinha realmente trabalhado muito para alcançar o seu objectivo, vê-lo concretizado é uma sensação por demais agradável e consoladora para todos quantos contribuíram para este sucesso, família, professores e, principalmente, a mãe dedicada.
Resta-me dizer que o meu neto Gonçalo, juntamente com uma sobrinha neta, é a 4ª geração de médicos na nossa família! Desejo que ele continue a ser o que tem sido até agora e que honre as qualidades que são precisas para uma profissão bonita mas bastante dura e trabalhosa. É mesmo preciso ter vocação e sentir que esse é o caminho. Estamos orgulhosos e felizes e prontos a ajudar no que for preciso.
Obrigada pela disponibilidade e: PARABÉNS GONÇALO!!!
Fiquem bem!

quinta-feira, setembro 04, 2008

RECORDAR É VIVER...






De volta à cidade, depois de posta a vida em ordem para podermos começar os trabalhos, estou neste momento disponível para partilhar convosco uma vivência particularmente feliz.
A minha filha e os filhos dela, estiveram a passar uns dias connosco. Num dos dias em que o tempo não estava próprio para a ida à praia da Adraga (aquela das fotos bonitas), decidimos ocupar o tempo a fazer algo diferente e vistar a Quinta da Regaleira em Sintra, que eles não conheciam. A Quinta da Regaleira é um monumento surpreendente que foi construído no fim da monarquia. Os melhoramentos e respectiva ampliação foram feitos por um ricaço, conhecido pelo Monteiro dos Milhões (Dr. Carvalho Monteiro de seu nome), um homem de espírito científico, de vasta cultura e grande sensibilidade com uma visão cosmológica cujas raízes mergulham na Tradição Mítica Lusa e Universal. Ali se fundem o Céu e a Terra.
Metemo-nos a caminho, seguindo pela estrada de Monserrate e, de folheto informativo em punho, fomos percorrendo os caminhos propostos, descobrindo os mistérios daquele mundo esotérico mágico e fascinante. Passámos umas horas bem agradáveis e o exercício de subir e descer inúmeras escadas, pôs à prova as nossas perninhas que se portaram à altura, as minhas, que as das crianças não se queixaram naturalmente!.. O Sol foi-se abrindo, o apetite foi fazendo a sua aparição e regressámos a casa para o satisfazer e, por fim, preparar a ida à praia.
Deixo-vos algumas fotos como registo desse dia memorável. Se puderem não percam uma visita à Quinta da Regaleira! Aconselho-vos a irem com um guia (nós não o tivemos porque era preciso ir a umas determinadas horas e chegámos tarde). Já lá tinha estado com o Grupo do Yoga e a Guia explicou tudo muito bem. Vale mesmo a pena.
Fiquem bem!