A minha Lista de blogues

sexta-feira, março 30, 2007

PÁSCOA




Começo por agradecer às minhas companheiras desta viagem pelo espaço sideral, o apoio dado numa altura em que me questionei sobre a importância deste contacto. Não quero, de maneira nenhuma, fazer deste acto uma manifestação egocêntrica. É um problema que eu tenho... Achar que o que me acontece é tão extraordinário que ultrapassa a minha condição humana. De vez em quando desço à terra e preocupo-me até voltar a aceitar que os Deuses me deram o dom da escrita como meio de comunicação ideal para chegar a quem está na mesma vibração. As palavras vão fluindo como traços de união entre os que se amam, mesmo que não se conheçam e o seu sentido torna-se claro porque o entendimento se faz muito para além delas. Partilhando convosco experiências transcendentais sou levada a pensar que essa projecção parte duma necessidade de ajudar a despertar emoções de uma vivência feita através da sintonia com o cosmos e as “mensagens” nascidas destes momentos de meditação, são ensinamentos que se destinam àqueles que, porventura, estejam envolvidos num processo de desenvolvimento tanto pessoal como espiritual.
A Páscoa é, ela mesmo, uma passagem em que a vivência individual é um factor indispensável ao crescimento do Ser único que somos, saídos do Inverno da existência para a Primavera que antecede o Verão do nosso esplendor.
Desejo a todos uma Feliz Páscoa, com os olhos postos num futuro que se adivinha provável...

Fiquem bem!

quinta-feira, março 22, 2007

INCERTEZA


Confesso que, de repente, fiquei na dúvida sobre se deveria continuar a escrever aqui... Não sei até que ponto estas linhas traçadas na invisibilidade do éter, terão algum sentido porque, ultimamente, me tenho visto a falar de ideias filosóficas e não a contar as tais estórias de vida que vos propus, mesmo que elas sejam fruto de vivências muito pessoais. O meu sentir resulta da atenção dada a cada momento e cada experiência vai-se tornando uma lição marcante, isso é verdade, mas não me passa pela cabeça ser um serviço de auto-ajuda que, disso há para aí aos pontapés... A necessidade que tenho de partilhar estas emoções é marcada, apesar de tudo, pelo desapego pois sei que os encontros, mesmo os siderais, dão-se de qualquer maneira e as impressões projectadas para o espaço desta égregora, vão chegando a quem têm de chegar. No entanto, a nossa pequenez, precisa de ter espelhos que reflictam a nossa imagem para que a realidade se estampe na nossa própria cara e, por isso, precisava deste pequeno desabafo. É uma questão de Ego, mas de um Ego saudável e comprometido com a vontade de comungar com os meus pares, os anseios, as dúvidas, os medos, as alegrias, ou mesmo os estados de graça que nos tocam para que a Vida não nos pese demasiado. Estarei aqui enquanto sentir que os impulsos para o fazer sejam uma realidade palpável.
Mais dia, menos dia, voltarei a contar alguns episódios da minha, já longa, vida e as estórias ainda são muitas, podem crer!
Até breve, fiquem bem!

segunda-feira, março 12, 2007

ORIGENS




De vez em quando passo em revista muitos textos que marcaram ocasiões especiais ou que fizeram parte dos vários cursos que temos feito ao longo dos anos. Estas notas que vos apresento, tirei-as dum curso sobre Globoterapia em que levámos, a Paula Mora e eu, os alunos por um Caminho Iniciático, na descoberta do SER e do ESTAR, com uma terapia Holística que permite alcançar estados de bem-estar e sentir o TODO que somos.
Seguindo a linha de pensamento que nos rege, apresentámos uma série de exercícios e terapias específicas que se tornaram o motor do desenvolvimento pessoal e um elo de ligação entre o fora e o dentro, para todos quantos participaram, desejando que fosse alcançado o verdadeiro Conhecimento.
Achei curioso, pois, reproduzir-vos um extracto de uma entrevista dada pela Dr.ª Teresa Lago (entretanto falecida) ao DN, sobre Astrofísica Estelar que lhes apresentei:

“ Que características físicas permitiram o desenvolvimento da vida?
Foi o facto de existir um Sol jovem que levou à formação da atmosfera com características adequadas ao aparecimento da vida. Os processos físicos que condicionam e determinam o estado de uma estrela são muito diferentes, desde a sua formação até à morte.

- As estrelas também morrem?

Naturalmente. Morrem num sentido curioso. O seu material acaba por ser ejectado e reconduzido, redistribuído pelo espaço interestelar a partir do qual se formam. Tal como nós... O nosso material é cósmico. O cálcio que constitui os ossos e o ferro que está no sangue, os vários elementos químicos presentes no nosso corpo tiveram de ser sintetizados no interior de uma estrela, não há outro processo de formação desses elementos. Quando morremos, devolvemos esses elementos ao espaço.”

Neste fim-de-semana, trabalhei com um grupo sobre Radiestesia, dentro dos Processos Evolutivos em que estamos inseridos, e foi muito bom partilhar experiências e viver contactos especiais que vieram demonstrar à saciedade, como a energia nos toca e transforma, quando estamos disponíveis para ela, com a consciência de que, realmente, fazemos parte dum TODO e que não vivemos em redomas ou castelos, protegidos por muros intransponíveis. É no Dar que está o Receber. Foi muito bom!!!

Fiquem bem!

terça-feira, março 06, 2007

FELICIDADE





“Quando o sábio mergulha no silêncio, fechando as portas da sua Alma ao mundo exterior, concentrado no espaço entre as sobrancelhas, com a respiração a fluir tranquilamente, a razão em harmonia com a intuição, longe do mundo da matéria e a Paz no coração, entrega-se, sem expectativas e, assim, alcança a verdadeira libertação.”
Bhagavad Gita


Muito se fala de felicidade, coisa que todos desejamos alcançar de uma maneira ou de outra, esquecendo que a felicidade é um estado de espírito em que os opostos não se contrariam, antes se complementam. Somos felizes quando estamos no lugar que nos compete a fazer o que é nosso dever, nossa devoção, um estado de graça que se experimenta, igualmente, quando chegamos ao lugar da calma que atingimos ao meditar.
As dores, como as dúvidas e os medos, devem ser vividas como forma de aprendizagem dos verdadeiros valores, discriminando até à saciedade: isto não, isto não, isto não!... Assim, vamos descobrindo o nosso Caminho com a consciência de que estamos aqui por alguma razão. Sejamos missionários, nas palavras e nas acções que estão por trás dos pensamentos e das intenções. O que fazemos, o que pensamos, tem uma projecção que vai muito para além dos limites do espaço em que nos movimentamos, por isso, o papel que nos cabe será, necessariamente, cumprido. O que fica dessa acção não deve ser confundido com as características de uma personalidade imperfeita e, por vezes, enganadora. Somos canais por onde corre uma energia que pode escapar à nossa vontade. Só temos de deixar fluir, confiando nos Deuses que nos guiam.
Semeamos boas sementes, mas o que nasce pode de ser cuidado por outros e os seus frutos saboreados bem longe do nosso campo. Não confundamos a obra com o seu autor e, muito menos com os seus efeitos, pois o que importa é o que É e não para quem é, nem porque é. Somos uma partícula ínfima neste Universo, não é?...
O Mundo em turbilhão precisa daqueles que se mantêm com os olhos fixos na Luz, sabendo que o Bem e o Mal são apenas duas polaridades que se complementam para dar lugar à Unidade. É importante SER e ESTAR, de coração aberto, prontos para a acção, dia a dia, pois é na acção que se reconhecem os que trilham a senda da espiritualidade.
Fiquem bem, gozando a felicidade conquistada!