A minha Lista de blogues

segunda-feira, agosto 31, 2009




Pois, meus amigos, chegaram ao fim as prometidas férias que, felizmente, correram às mil maravilhas, tendo dado para descansar o corpo e limpar a alma de todos os resíduos que se vão adquirindo ao longo de um ano de trabalho.
Munidos das ferramentas necessárias para manter uma casa de férias em funcionamento conveniente, passámos os primeiros dias a assentar arraiais nestas paragens alentejanas, já nossas conhecidas e apreciadas, até entrarmos no ritmo das idas à praia, das compras na vila e na confecção dos belos jantarinhos em que aproveitávamos para por a conversa em dia. Passávamos o serão tranquilamente, ora vendo algum programa de televisão de interesse geral, jogando às cartas ou arrumando as fotos, dignas de registo, no computador.
Por coincidência (se é que as há), os nossos vizinhos, para além de serem pessoas simpáticas, muito na nossa onda, traziam consigo uma filha que, por “coincidência” (outra), tinha sido professora de ginástica dos meus netos numa das escolas em que andaram. Escusado será dizer que, também, ela alinhava na jogatina das cartas que acabava sistematicamente, numa risota pegada. O meu computador fez-me boa companhia, permitindo-me manter algum contacto com o exterior.
Nós, os mais velhos, frequentávamos mais a praia em frente à Ilha do Pessegueiro (aquela que não tem nenhuma árvore digna desse nome...), por ser mais sossegada e de mais fácil acesso, enquanto a juventude se deleitava com as ondas na praia dos Aivados onde podiam dar azo à sua prática de “bodyboard”, de “Surf” ou apenas pelo gozo de uns belos mergulhos. O tempo esteve quase todos os dias bom, tirando alguns em que o vento soprou mais forte e as ondas se enraiveciam, prometendo a chegada do equinócio.
O Goofy (o Beagle da minha filha), também gozou uma ida a banhos na praia onde os animais são permitidos. É um bom companheiro e não perturbou demasiado as cadelinhas dos nossos vizinhos, cada um cuidando do seu território, como é da praxe. Todas as manhãs, ele e o meu marido faziam o seu passeio higiénico, percorrendo as redondezas campestres. Estar no campo, perto da praia, é o ideal para descansar da confusão que há nestas terras de veraneio e, por isso, escolhemos sempre estes sítios onde descansamos verdadeiramente.
Já agora, acrescento que, entretanto, também celebrámos o aniversário do meu marido e recebemos, com muita alegria, a visita de uns amigos que nos “encomendaram” uma sardinhada à maneira, que resultou no esperado sucesso e prazer para todos.
Assim nos preparamos para iniciar a nova época de trabalho, com a cabeça fresquinha e retemperadas as forças, para que não nos falte o ânimo e a vontade de ir à luta, com a alegria e a esperança de dias felizes. Espero que tenham tido umas férias tão boas quanto as minhas, ou se as vão agora gozar, que as aproveitem ao máximo.
Fiquem bem!

segunda-feira, agosto 24, 2009

AUSÊNCIA




“AMAR É ESTAR COM ALGUÉM, MESMO NA SUA AUSÊNCIA E SENTIR A SUA PRESENÇA SEM PRECISAR DE LHE TOCAR!”

Nestes dias em que me dispus a passar um tempo de férias, tenho-me desligado das responsabilidades inerentes à gerência de um grupo de almas que se aprontou a fazer comigo um caminho de auto-conhecimento e auto-realização, na sua passagem pela terra. O envolvimento com todos e cada um, pressupõe uma entrega total que, naturalmente, provoca algum desgaste físico e mental que requer um tempo de pausa. É evidente que continuamos ligados, mas a materialidade manifesta-se de outro jeito e o contacto com a natureza e a família biológica, tem-me permitido recompor, gradualmente, a minha energia para que possa voltar a dar o melhor de mim na etapa que se aproxima e que desejo seja de molde a satisfazer as necessidades do nosso progresso como seres individuais e como comunidade.
Estou com todos, mesmo sem lhes tocar e isso faz parte da consciência que fomos desenvolvendo como grupo, sempre numa base de individualidade na diversidade, característica assumida na generalidade do contexto da missão que nos foi atribuída como descobridores, mensageiros de Paz e curadores a tempo inteiro.
Como é bom descansar e, depois, não fazer nada!!!
Fiquem bem... Até breve!

OM SHANTI

sábado, agosto 08, 2009

É VERÃO!


Sempre pensei que estar no mundo era estar com as pessoas que amava, um amor inexplicável, um amor que me transcende e me leva a estar de coração aberto, mesmo quando sei que me posso magoar. A dor é sempre passageira... A alegria é eterna, pois brota do fundo do ser e desperta as emoções mais puras.
Sejamos como crianças a brincar ao Sol que nos aquece as mãos e as purifica para podermos continuar a pacificar as almas e a apaziguar os corpos. É bom brincar com o Sol, sentir o seu calor, a sua luz e a sua vida palpitando nos nossos corações.
É Verão...
Fiquem bem!

domingo, agosto 02, 2009

SILÊNCIO



A fé anima a nossa Alma que transparece num corpo, por vezes magoado e a precisar de amparo. Coloquemos os nossos privilégios no cálice sagrado do Amor. Partilhemos o pão e o vinho com aqueles que têm fome e têm sede de alimentos. Saciemos a sede dos viajantes que se debruçam na fonte, para colher nas suas mãos a água pura do Conhecimento.
Saibamos ser servidores que não esperam ser servidos, pois no amor a Deus se congratulam. Amemos o próximo como a nós mesmos, e a Deus sobre todas as coisas.”


A partida para outra dimensão de um ente querido é sempre um momento em que fazemos silêncio e nos dedicamos à introspecção. A minha sogra partiu, terminada a sua longa passagem pela Terra, onde deixou a sua marca nos filhos, netos, bisnetos, noras e genro. Tinha com ela uma ligação para além da relação natural de mulher do seu primogénito. Sempre nos entendemos para além das palavras e partilhávamos sentimentos e sensibilidades que tocavam a transcendência. Naturalmente, tornou-se minha discípula, praticando Hatha Yoga, enquanto a vida lhe permitiu e colaborou intensamente comigo em trabalhos de ajuda à comunidade que fui formando. Aprendeu a cozinha vegetariana e confeccionou com esmero e amor, almofadas para as aulas e lençóis para as Massagens Shiatsu, que comecei a usar como terapia auxiliar das práticas físicas do Yoga. O seu entusiasmo por esta filosofia e pelos meus escritos animaram-me e fizeram com que acreditasse que valia a pena continuar, considerando-a uma das minhas primeiras adeptas, juntamente com a minha Mãe, claro...
Uma vez mais foi demonstrada a importância da família, e a sua união, quando é preciso ouvir a saudade, que se vai instalando no coração de todos e cada um, com a certeza de que a Alma dos Seres espirituais se liberta de um corpo que já tinha cumprido o seu papel e descansa, finalmente, na Essência. Viveu a sua Paz, apesar das revoltas e dores que fazem parte da vida na matéria, e deixou mais esta Vida em Paz!
Ganhámos mais um Anjo da Guarda!
Fiquem bem.