A minha Lista de blogues

sexta-feira, outubro 22, 2010

CONSCIÊNCIA ACTIVA

O APARECIMENTO DA COSNCIÊNCIA ABRIU CAMINHO PARA UMA VIDA QUE VALE A PENA VIVER. ENTENDER A FORMA COMO ELA SURGE APENAS PODE SERVIR PARA REFORÇAR ESSE VALOR.”

António Damásio (in “O Livro da Consciência”, ed. Temas e Debates)


Não sei até que ponto a tomada de consciência nos pode perturbar… O estado de alerta constante, é uma ferramenta específica que, por um lado, nos permite perceber o que se passa à nossa volta e, ao mesmo tempo, aceitar o facto de que não vivemos isolados e que o nosso Eu evolui de acordo com as circunstâncias e as condições adequadas ao seu desenvolvimento. Por outro lado, continuamos a questionar-nos e a tentar “adivinhar” um futuro que sabemos ser provável. As impressões latentes, fruto de todas as experiências vividas ou sonhadas, são os trunfos que nos servem para jogar, tanto quanto possível, pelo seguro. A discriminação torna-se um valor considerável na escolha dos caminhos a seguir, aceitando os obstáculos que se entreponham no progresso do nosso desenvolvimento, que se quer tranquilo e consistente.
Apesar da consciência activa ser um valor, não deixa, por vezes, de constituir um peso. Afirmo isto com a convicção plena de quem tem pela frente uma senda em que a aceitação das circunstâncias será o factor primordial da paz desejada. Olhando para trás, congratulo-me com o que foi alcançado, seja no trabalho, seja nas relações afectivas, mas com a preocupação de encontrar um lugar em que possa depositar a minha energia e partilhar com os meus semelhantes tudo quanto seja útil para ambas as partes. Todos precisamos saber qual o nosso papel e preencher os vazios que, às vezes, se instalam quando não se vislumbra a intenção do estado das coisas. É certo que o corpo se manifesta a toda a hora, avisando-nos das lutas ou das fugas a programar, no entanto, as “cabecinhas” tontas inquietam-se e inventam tudo e mais alguma coisa, tentando vislumbrar paisagens magníficas onde reine a tranquilidade e a alegria.
Os tempos de crise poderão ser uma oportunidade para repensar valores e desenvolver a criatividade que nos permita tirar partido daquilo que esteja ao nosso alcance e estimular desejos suficientes para concretizar as acções de cada dia, com a melhor das intenções. Assim, vamos vivendo um dia de cada vez, cuidando do Ser e do Estar que é o nosso, de modo a continuar de peito feito, olhos postos na luz que nos toca sempre que a ela nos aprontamos e cheios de vontade de viver!

Bom fim-de-semana. Fiquem bem!!!








Sem comentários: