A minha Lista de blogues

segunda-feira, dezembro 11, 2006

UM NATAL MAIS BRANCO






Habitualmente, representa-se o Natal sob a forma de paisagem em que a neve predomina. À neve, na sua brancura, associa-se a ideia de pureza, estado de elevação espiritual a que conduz, ou devia conduzir, a época de Natal. Mas, será que essa brancura existe? Será que o processo de branqueamento não é antes um processo de escurecimento?...
A sociedade de consumo em que vivemos, leva-nos a festejar o Natal numa euforia de gastos supérfluos que, lá para meados de Janeiro nos dão amargos de boca, depressa fazendo esquecer o repicar dos sinos. A paisagem fica, subitamente, enegrecida e os votos de Bom Natal diluem-se como nuvens esfarrapadas em dia de ventania.
Jesus, ao nascer pobre, desceu à Terra despojado de bens materiais. Nasceu humilde – NASCEU! Nascer significa abrir os olhos à Vida, enfrentar o mundo com o grito do primeiro choro. Enfrentar o Mundo é o primeiro acto do primeiro instante da existência. A partir daí, é uma evolução constante e progressiva que nos permite sobreviver num ambiente, à partida, hostil. Na realidade, nós nascemos todos os dias! De cada vez que saímos da cama é como fazer uma nova entrada no mundo. O líquido amniótico está, aqui, representado pelos lençóis que envolviam o nosso corpo e nos davam a protecção necessária durante a noite. E, levantar pela manhã nem sempre é fácil... Quanto mais nascer!!!
Sobretudo, para quem não tiver consciência de que cada dia que passa é menos um, menos uma oportunidade de trabalharmos para o nosso desenvolvimento. Devíamos, todos, “Morrer por viver e não viver para morrer”, como dizia o Suami Sivananda. A Vida passa-nos por entre os dedos de uma mão aberta e, quando se aproxima o Natal, o que nos preocupa são as prendas que temos de dar e devíamos receber...
Quantos ressentimentos, quantas desilusões semeia o Natal?.... Quantos de nós vivem realmente o Natal, despojados, humildes e com vontade de re-começar?... Voltando a citar Sivananda, na sua Oração Universal “Amar a Deus sob todos os nomes e todas as formas. Servir a Deus sob todos os nomes e todas as formas”, seria um bom voto, um bom propósito,
Neste Natal, procuremos nascer para uma Vida mais harmoniosa, mais simples, pensando mais em vós do que em nós. É muito mais Cristão, é muito mais yóguico e faria desta quadra uma verdadeira paisagem branca de neve.
Fiquem bem e BOM NATAL!!!

2 comentários:

aldina disse...

Voltámos a mudar o Blog?! Parece que está a nevar no blog :-D O Blog está mais alegre!

Natal=Nascer! Nascer todos os dias para a vida é tarefa que chegue para uma vida inteira!

Mil beijos!

Maria Emília disse...

As mudanças acontecem e temos de entrar no espírito de Natal que acontece de dentro para fora e se manifesta de alguma maneira.

Beijos